abril 26, 2012

UM CD

HOMENAGEM À VOZ


MANUEL SOARES

Manuel Soares nasceu em Paranhos no Porto e foi um fadista reconhecido nesta cidade. Conciliando o fado com a sua profissão de oculista, chegou a actuar como profissional na casa de fados “A Candeia”. Sua voz castiça tinha um timbre apreciado no meio fadista. Gravou o seu primeiro trabalho, onde obteve grande êxito, em 1992 “As meninas dos teus olhos”. Em 2005 gravou o CD: “A Expressão da minha voz” e em 2006 o seu último CD: “Duas vozes dentro do fado”, em parceria com Ernesto Silva. Deixou-nos em Maio de 2007.


video

HOMENAGEM AO FADO


 DOMINGOS CAMARINHA

Domingos Augusto Camarinha nasceu em Lisboa a 3 de Outubro de 1915.

O seu interesse pela música surgiu por influência do seu pai, que tinha especial interesse pela guitarra e sabia tocar alguns acordes. Com apenas 7 anos, Domingos Camarinha já tocava correctamente o Fado Corrido e, quando aos 10 anos recebeu de presente um cavaquinho pôde desenvolver os dotes que até então já revelara. Iniciou a sua carreira como guitarrista profissional. com 23 anos, passou depois pelo Solar da Alegria, Café Latino, Café Vera Cruz, Retiro da Severa, Pavilhão Português e Café Luso. Importante na carreira do guitarrista foi a sua actuação regular nas emissões do Rádio Clube Português, entre 1944 e 1948, num programa de fado e guitarradas, em directo às segundas-feiras. A partir de 1954 até 1966 Domingos Camarinha acompanhou Amália Rodrigues em actuações por todo o mundo. Para “além de executante exímio, foi um dos responsáveis pelo repertório da cantora, pois transcrevia para guitarra as composições que outros haviam escrito ao piano como Alain Oulman. Domingos Camarinha é autor de 78 fados registados na Sociedade Portuguesa de Autores, entre os quais estão gravados em disco cerca de 30

A sua guitarra encontra-se na exposição permanente do Museu do Fado.




MANUEL FERNANDES

Manuel Fernandes nasceu em Lisboa, no dia 9 de Dezembro de 1921.

Quando tinha apenas 15 anos, cantava já, como amador, pelas tabernas e pelas colectividades de recreio onde habitualmente se faziam apresentações de Fado aos fins-de-semana. Com apenas 17 anos e um cachet de 15 escudos por noite, Manuel Fernandes iniciou a sua carreira profissional de fadista. Ainda assim, manteve por algum tempo a sua profissão de tipógrafo até lhe ser completamente impossível conciliar o trabalho de tipógrafo com as interpretações nocturnas de Fado.

Seis anos depois da sua estreia, em 1944, desempenhou um pequeno papel na opereta " Os Magalas" onde cantava uma desgarrada com Hermínia Silva e Carlos Ramos. Terminadas as apresentações em palco da peça regressou às actuações em casas de fado e apresentações ao vivo na rádio.

Manuel Fernandes casou em 1946 com Adelaide Cardoso, também ela intérprete de fado, conhecida pela “Miúda de Alfama”. O casal teve duas filhas e em homenagem ao nascimento da primeira filha, o fadista compôs o tema “Vassourinha”, que se tornou num dos seus maiores êxitos.

Em 1953 fez a sua primeira deslocação ao estrangeiro. No seu regresso foi convidado a ingressar no elenco de "Os Companheiros da Alegria", dirigido por Igrejas Caeiro. Em 1957, o fadista foi um dos artistas seleccionados para representar Portugal no Festival da Canção Latina de Génova.

A meio da década de 1980 o fadista afastou-se dos palcos e abandonou a carreira artística, afirmando preferir que as pessoas tivessem saudades suas, em vez de o continuarem a ouvir sem o brilhantismo de outrora.

Manuel Fernandes faleceu em 1994, deixando mais de 70 discos, tendo mesmo gravado dois LPs, para uma editora americana.

GALERIA DA SAUDADE



ANDA UM FADO POA AÍ