julho 30, 2010

UM FADO PARA OUVIR E VER

video

GENTE DO FADO


Dia 02 – Empresário portuense, Lopes de Almeida

Dia 06 – Fadista Lenita Gentil

Dia 06 – Fadista Ricardo Ribeiro

Dia 11 – Fadista “Tripeiro”, Filomeno Silva

Dia 11 – Fadista nortenho, António Campos

Dia 13 – Fadista “Alfacinha”, Ada de Castro

.

.

.

Dia 10 – Poetisa e letrista, Alice Barreto, 2004

22 ANOS DE FADO 1988/2010

2003 / ROSITA

Música própria / Nel Garcia

.

FADOCANTO

.

Trago fado no peito como alento

Junto ás minhas coisas mais secretas

Dou-lhe a minha voz cantando ao vento

Palavras mais sentidas dos poetas

.

Foi fado o meu nascer ó minha mãe

Foi fado amores que tive e vi morrer

É fado o meu viver sem ter ninguém

Será fado o meu fim quando vier

.

Meu modo de cantar este meu jeito

Nasceu comigo numa tarde calma

Por isso trago fado no meu peito

E canto quando a dor m’invade a alma

.

É fado a minha voz que por encanto

Te leva esta mensagem plangente

É fado este sentir que t’amo tanto

E dize-lo cantando a toda a gente

.



2003 / AIDA ARMÉNIA

Fado Cuf / Alfredo Marceneiro

.

O FADO QUE EU GOSTAVA

.

Gostava tanto um dia de cantar

Um fado que toda a gente sentisse

E tivesse o dão de poder dar

Felicidade àquele que o ouvisse

.

Com palavras feitas de verdade

E tivesse o amor só como tema

Onde fosse bom sentir saudade

E a vida fosse p’ra sempre um poema

.

Versos eram verdes cor da esp’rança

Desse verde azulado que o mar tem

Juntava-lhe um sorriso de criança

Afagos e ternuras de uma mãe

.

Meus versos numa estrela pendurava

Para que toda a gente fosse capaz

De ler o fado que eu mais gostava

Num hino de amor feito de paz

.

.

2003 / FILOMENA SOUSA

Fado Noquinhas / Fernando de Freitas

.

TRAZEMOS
.

Eu trago no meu cantar

O sentir mais profundo

Poemas e doçura

Das palavras que me diz

Ele traz para me dar

Seus braços o meu mundo

Nos olhos a ternura

Razão de eu ser feliz

.

Eu trago neste fado

Um monte de desejos

E guardo estes segredos

Para ele desvendar

Ele traz para me dar

Carinhos e seus beijos

E na ponta dos dedos

Carícias para afagar

.

Eu trago no meu peito

O fado que voz canto

E faço rimar depois

Este amor como tema

Ele traz o seu jeito

D’amar que gosto tanto

E Deus traz-nos aos dois

A vida num poema



MINHAS PALAVRAS SENTIDAS


FADO

.

É tão bom este pasmo

Este prazer este orgasmo

De ouvir um fado.

Mas um fado!

Bem sentido, bem cantado

Que deixa a alma voar

Que deixa o corpo a vibrar

Pelas palavras levado

Em guitarras pendurado

.

Depois vem o arrepio

Dum calor cheio de frio

Dos pelos que se levantam

Do sangue que as veias cantam

Porque o fado quando é fado

Faz-nos olhar para dentro

E ver de novo outra vez

Como é bom ser português.

julho 14, 2010

UM FADO PARA OUVIR E VER

video

GENTE DO FADO


Dia 22 – Fadista Aldina Duarte

Dia 28 – Fadista do Porto, Sérgio Marques

Dia 29 – Fadista Rodrigo


Dia 23 – Compositor e Guitarrista, Carlos Paredes, 2004

Dia 25 – Fadista Fernanda Baptista, 2008

Dia 27 – Fadista portuense, João Correia, 2007

Dia 29 – Fadista Adelina Ramos, 2008

Dia 31 – Cançonetista Francisco José, 1988


22 ANOS DE FADO 1988/2010

.

2003 / JOAQUIM BRANDÃO

Fado Pena / Fernando de Freitas

.

.

MENINA DOS OLHOS MEIGOS

.

Chamei-lhe menina dos olhos meigos

Ao seu olhar não pude resistir

Adivinhava o sabor dos seus beijos

Pelo doce raiar do seu sorrir

.

Seu andar ondulante de varina

Sei que fascinava a um qualquer

Olhar aquele corpo de menina

Metido assim num corpo de mulher

.

Um dia não me pude mais conter

E segredei-lhe toda a sorte minha

Passava lá na rua só p'ra ver

Os lindos olhos meigos qu'ela tinha

.

E hoje a menina dos olhos meigos

Ilumina no lar nossos destinos

Satisfaz meus caprichos meus desejos

E deu-me uns olhos meigos pequeninos

.

.

2003 / AIDA ARMÉNIA

Música própria / Carlos Gonçalves

.

NO BEIRAL DO MEU TELHADO

.

Fez o ninho uma andorinha

No beiral do meu telhado

Agora chego à noitinha

E canto p'ra ela o fado

.

Talvez seja aquele encanto

Que ao fado a nós nos prende

Eu sinto que quando canto

Aquela andorinha entende

.

E quando a folha caiu

Tinha chegado Setembro

A andorinha lá partiu

Ia triste bem me lembro

.

Mal chegou a Primavera

Voltou a negra andorinha

Pousou na minha janela

Cantei-lhe o fado á noitinha

.

2003 / AIDA ARMÉNIA

Fado Moreno / Eduardo Jorge

.

UM FADO PARA VÓS

.

Dou aos fados que canto

A magia do encanto

Que me vem da minha voz

Cantando menos padeço

E com carinho ofereço

Meus fados p'ra todos vos

.

E condão que o fado tem

Se choro, chora também

E cantando sou feliz

Com a voz que Deus me deu

E o sentir que lhe dou eu

Canto ao povo, ao meu pais

.

E minha vida meu fado

Meu poema meu recado

Que canto p'ra não chorar

O fado nasceu comigo

Em meu peito tem abrigo

Hei-de morrer a cantar

MINHAS PALAVRAS SENTIDAS


ESTOU AQUI

Estou aqui

de braços abertos

dom desejos secretos

do teu corpo.

Nas mãos a expressão

de carícias acumuladas

que voltam moldadas

aos teus seios.

.

Estou aqui

de lábios sequiosos

saudosamente ansiosos

dos teus beijos.

Nos olhos a felicidade

de voltar a ver os teus

.

Será a fé que tens no teu Deus

que me trouxe para ti?

.

Estou aqui

Toma a minha mão.